As pálpebras abrem e fecham para proteger e lubrificar a córnea e conjuntiva. Toda vez que os olhos se fecham, uma camada de filme lacrimal é renovada, funcionando como o parabrisa de um carro, levando embora a sujeira e hidratando a superfície.

Os cílios são os protetores dos olhos. Eles impedem que partículas do ar entrem no globo ocular. Os cílios são sítio de várias doenças como por exemplo a triquíase e distiquíase.

A córnea é uma estrutura transparente localizada na parte anterior do olho. Ela permite que a luz do meio externo penetre no olho e seja captada pela retina. Para o bom funcionamento da córnea, é necessário que a mesma tenha transparência satisfatória e curvatura adequada. Diversas patologias podem acometer a córnea e superfície ocular, tais como inflamações, infecções, alergias, ceratocone, olho seco, entre outras.

A íris é responsável pela cor dos olhos. Ela se abre e se fecha para regular a entrada de luz no olho. Funciona como o diafragma de uma câmara fotográfica convencional.

O cristalino é uma lente transparente e se localiza dentro do olho. Com o passar do tempo, o cristalino torna-se amarelo esbranquiçado formando assim a catarata.

A retina é uma rede de neurônios especializada em transformar o estímulo luminoso em elétrico e transportá-lo para o nervo óptico. 

O nervo óptico transmite as informações transmitidas pela retina para o cérebro, mais precisamente para o córtex occipital. A doença mais conhecida do nervo óptico é o glaucoma.